ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DE PROPORCIONALIDADE: UMA ABORDAGEM DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL

Ester dos Santos da Silva, Pedro Gabriel Ambrosio, Eloir Fátima Mondardo Cardoso

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo socializar o estudo desenvolvido nas disciplinas de Estágio Supervisionado do Ensino Fundamental I e II, do Curso de Matemática – Licenciatura, da UNESC, que aconteceu no primeiro e segundo semestre de 2018. Constitui-se em relato de experiência com abordagem qualitativa de análise dos dados. Estes foram coletados a partir de registros em diário de bordo e na observação das atividades de aula. Tendo em vista que a proposta curricular da rede estadual de ensino de Santa Catarina tem como base a teoria Histórico-Cultural, foram estudados autores como Prestes, Tunes e Nascimento (2013), Zanella (1994), Longarezi e Franco (2013), Libâneo e Freitas (2007) entre outros. A partir desta perspectiva, pesquisaram-se o conceito de proporcionalidade no livro V da coleção de Euclides “Os elementos”, onde se encontram as primeiras noções de proporcionalidade. Com o objetivo de desenvolver tal conteúdo sob a ótica da teoria Histórico-Cultural, o estágio ocorreu em duas escolas, uma estadual e outra particular, na Escola de Educação Básica Natálio Vassoler e no Colégio Dom Orione, respectivamente, localizada no município de Forquilhinha/SC e em Siderópolis/SC. Na escola estadual o estágio foi realizado em uma turma de oitavo ano, com 31 alunos e, na particular no sétimo ano, com 19 alunos, num total de 12 horas/aula (h/a) de atividades de observação e 24 h/a de atuação na docência, por turma. Durante a atuação desenvolveu-se o conceito de grandezas por meio de recortes de formas retangulares nomeadas de K, Y e M, mostrando aos alunos a possibilidade de qualquer parâmetro de um objeto ser uma grandeza, posteriormente, foram trabalhados os conceitos de razão, proporção, e regra de três, relacionados à forma algébrica e aritmética das medidas dos recortes. Como principais resultados, constatou-se a capacidade dos alunos em compreender que as relações de proporcionalidade podem ser observadas em diversos outros objetos além dos utilizados nas demonstrações. Percebeu-se, também, que as perguntas dos alunos durante as aulas geralmente foram no âmbito das relações de grandezas. Por exemplo, durante a correção de uma tarefa de proporções inversas e propriedade fundamental de proporções, um aluno questionou por que motivo uma das grandezas aumentava constantemente enquanto a outra diminuía de forma variável. Na demonstração das relações entre grandezas questionou-se sobre a possibilidade de outra grandeza, além da utilizada naquele momento, ser a unidade de medida das demais. Por fim, ambas as turmas apresentaram dificuldade em questões referentes à álgebra, contudo, as perguntas dos alunos indicaram apropriação dos conceitos estudados. Concluiu-se, pois, que a dificuldade com a álgebra pode se dar pelo fato de os materiais didáticos não apresentarem tal conteúdo nesse estágio do ensino.

Palavras-chave: Teoria Histórico-Cultural, Razão, Proporção, Regra de três, Sala de aula.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Conselho Editorial


Ademir Damazio

Edison Ugioni

Elisa Netto Zanette

Kristian Madeira

Ledina Lentz Pereira

 

Comissão de Avaliação

Ademir Damazio

Edison Ugioni

Elisa Netto Zanette

Eloir Fátima Mondardo Cardoso

Kristian Madeira

Ledina Lentz Pereira

Viviane Raupp Nunes de Araújo