DESENVOLVIMENTO DO CONCEITO DE NÚMEROS COMPLEXOS PARA O 3º ANO DO ENSINO MÉDIO, UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Bruna Trajano da Cruz, Edison Uggioni

Resumo


Neste trabalho, apresenta-se o relato da prática pedagógica realizada durante o Estágio Supervisionado do Ensino Médio, no primeiro e segundo semestre do ano de 2018. O objetivo foi de conhecer o cenário de uma sala de aula do Ensino Médio e de que no decorrer das aulas, os estudantes alcançassem o entendimento sobre o conjunto dos Complexos. No primeiro semestre foi realizado o estudo bibliográfico do conceito de Número Complexo. Para que se chegue a tal compreensão apresentei um contexto histórico e todas as relações existentes no conjunto, como: igualdade, operações, representação geométrica, propriedades e forma trigonométrica. No segundo semestre foi elaborado e desenvolvido plano de ensino com duas turmas 3º ano do Ensino Médio, de uma escola estadual de Criciúma-SC. Por este motivo, as aulas foram iniciadas com questionamentos que remetiam aos alunos os conjuntos numéricos já estudados, para que possibilitasse assim a inter-relação dos assuntos. Seguindo, foram apresentados ao contexto histórico também abordado por Smole e Diniz (2003, p.219) o matemático Bombelli, ao resolver uma equação chegou a um impasse que o fez acreditar que a equação não teria solução, pois raiz negativa não é um número real. Desta forma, tentou encontrar regras para utilizar com as raízes negativas, passando a considerar √1 um número qualquer representado como a letra i. Após isso foi sugerido aos alunos, que utilizassem os métodos de Bombelli para encontrar as raízes da equação X2 – 6x + 10 = 0. Com algumas explicações e auxílio nas tarefas propostas foi possível encontrar as raízes e avançar para a forma algébrica do número complexo, sua representação no plano de Argand-Gauss, as relações de igualdade e desigualdade, soma, subtração, multiplicação e potenciação. Para a verificação do aprendizado foram utilizadas as produções realizadas durante todo o processo pedagógico, tais como: questionamentos, avaliações, autoavaliações e demais tarefas. Conclui-se que o entendimento sobre os números complexos ocorreu de maneira que parte dos alunos demonstraram domínio do conteúdo em suas produções e outra parte demonstrou pouco conhecimento sobre. Acredita-se que os motivos para este resultado foi a fácil dispersão dos alunos em relação as aulas, e a pouca experiência de lecionar com o terceiro ano do Ensino Médio. Desta forma espera-se que a autoavaliação continue a ocorrer em cada uma das fases da docência, para que a prática proporcione aos alunos e professora novos conhecimentos.

Palavras-chave: Número Complexo, Relato de Experiência, Matemática, Ensino Médio.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Conselho Editorial


Ademir Damazio

Edison Ugioni

Elisa Netto Zanette

Kristian Madeira

Ledina Lentz Pereira

 

Comissão de Avaliação

Ademir Damazio

Edison Ugioni

Elisa Netto Zanette

Eloir Fátima Mondardo Cardoso

Kristian Madeira

Ledina Lentz Pereira

Viviane Raupp Nunes de Araújo