AUTOCUIDADO DAS PESSOAS COM DIABETES MELLITUS TIPO II EM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMILIA

Neiva Junkes Hoepers, Grasiela dos Santos Roldão, Priscila Regina Fernandes, Liliana Maria Dimer, Susane Raquel Périco Pavei

Resumo


Este estudo objetivou avaliar o autocuidado das pessoas atendidas em Unidades de Estratégia de Saúde da Família, em um município do sul de Santa Catarina. O desenvolvimento de complicações agudas e crônicas na Diabetes Mellitus, está associado ao aumento das morbidades e mortalidades por esta patologia. Medidas de autocuidado podem modificar este cenário e variam de acordo com o desenvolvimento de cada pessoa e o aumento das potencialidades no percurso da vida diária por meio da aprendizagem, escolaridade, curiosidade, experiências e supervisão de outras pessoas. Trata-se de um estudo descritivo quantitativo e constituída por 100 sujeitos de 30 anos de idade ou mais, diagnosticados com Diabetes Mellitus tipo II e usam insulina injetável, nos meses de fevereiro a maio de 2017.  Utilizaram-se dois questionários, um de Atividades de Autocuidado com o Diabetes (QAD) e o outro para as variáveis sóciodemográficas das pessoas da amostra. Como resultados podemos avalizar que o grupo estudado, não mostrou adesão as atividades de autocuidado com o Diabetes Mellitus, exceto no que se refere ao tabagismo e a terapia farmacológica. Conclui-se que, a importância de conhecer o autocuidado é imprescindível para a prevenção, promoção, o desenvolvimento e intervenções das complicações,  e para o tratamento desta patologia, com o intuito de controlar a doença e promover uma melhor qualidade de vida da pessoa com diabetes.

Palavras-chaves: Enfermagem, Diabetes, Autocuidado, Adesão ao Tratamento.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/inova.v8i2.3458

Direitos autorais 2019 Inova Saúde

 

 

ISSN 2317-2460

 

Indexação

      

Suporte e Apoio: