ESTÁGIOS DE MUDANÇA DE COMPORTAMENTO RELACIONADOS À ATIVIDADE FÍSICA EM PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE BOM JARDIM DA SERRA – SC

Ian Rabelo Gabriel, Anieli Fabiani Dias, Ana Maria Jesuíno Volpato

Resumo


Para a Organização Mundial de saúde – OMS (WHOQOL GROUP, 1994) a qualidade de vida é a percepção do indivíduo, de sua posição na vida, no contexto da cultura e do sistema de valores nos quais ele vive em relação às suas metas, expectativas, padrões e interesses. A QV quando restrita ao ambiente de trabalho (QVT) consiste num modo de pensar sobre as pessoas, trabalho e organização. Ou seja, a QVT é como um programa que visa facilitar e satisfazer as necessidades do profissional durante o desenvolvimento de suas atividades laborais, tendo como ideia básica o fato de que as pessoas são mais produtivas quanto mais estiverem satisfeitas e envolvidas com o próprio trabalho (KUROJI, 2008). Sabe-se que o estado saudável é altamente influenciável pelo nível de atividade física. Nesse sentido, a prática de atividade física frequente, de forma contínua ou acumulada, favorece transformações nos níveis de capacidades físicas, e, consequentemente, contribui para a diminuição do risco de inúmeras enfermidades (NAHAS, 2001). A atividade física feita de forma regular é tida como uma das principais responsáveis por ter influência na prevenção de muitas doenças. As pessoas que praticam exercícios físicos regulares possuem QV superior em comparação aos indivíduos sedentários (SILVA, 2010). Segundo Nahas (2001), a realização diária de exercícios físicos proporciona melhorias nas partes: fisiológica (melhoria da capacidade física ligado à saúde, como a capacidade cardiorrespiratória); psicológica (diminuição da depressão, estresse e ansiedade); e social (segurança e melhoria na integração cultural e social e cultural); além de contribuir para a melhoria da força e do tônus muscular e a diminuição ou prevenção de patologias como osteoporose. Os efeitos do exercício físico sobre o estado de humor são explicados em parte pela estimulação da liberação de endorfinas durante a prática. A hipótese das endorfinas sugere que, esses neurotransmissores sejam os responsáveis pelo aumento da sensação de prazer desencadeada pela prática de exercícios. Tal fato contribui para redução de sintomas de ansiedade e depressão em indivíduos ativos (SILVA, 2010). Portando, considerando os efeitos conhecidos da atividade física sobre a saúde e, consequentemente sobre a QV, o presente trabalho tem como objetivo geral investigar o nível de atividade física de professoras da rede pública de ensino de Bom Jardim da Serra, Santa Catarina, com base na teoria dos Estágios de Mudança de Comportamento para o Exercício Físico (EMC). 


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Inova Saúde

Qualis:

B4: Educação Física, Enfermagem e Interdisciplinar.  

B5: Saúde Coletiva

C: Ciências Biológicas I e Medicina I 


ISSN 2317-2460

 

Indexação

      

Suporte e Apoio: