Agroindústria familiar e políticas públicas no extremo sul do Brasil

Flávio Sacco dos Anjos, Nádia Velleda Caldas, Cínta de Oliveira

Resumo


O objetivo do presente trabalho é o de abordar o impacto das políticas públicas de incentivo à produção artesanal no extremo sul do Brasil. Trata-se de estudo baseado em entrevistas realizadas com agricultores familiares de municípios da região de Pelotas, Estado do Rio Grande do Sul. O estudo mostrou que as políticas públicas são bastante fragmentadas e desarticuladas entre si. Esse e outros aspectos são decisivos para manter o estado de clandestinidade em que se encontra imersa a maior parte das agroindústrias nesta parte do Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rdsd.v1i1.1834

Direitos autorais

Qualis:

B4: Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis, Turismo e Interdisciplinar

B5: Ciências Agrárias I, Economia e Sociologia

C: Educação

 

ISSN - 2446-5496

Organizador

Prof. Dr. Miguelangelo Gianezini
Editor Executivo

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 Periódico Indexado em: 

                   


Cadastrado em:

   


Suporte:

     


Apoio:

Periódico contemplado na Chamada Pública CNPq/CAPES 18/2018 – Programa Editorial, Processo - 406486/2018-2