A ATIVIDADE DO PENSAR E A RELEVÂNCIA DO COMUNICAR NA E PARA A EDUCAÇÃO ESCOLAR: REFLEXÕES À LUZ DE HANNAH ARENDT

Jenerton Arlan Schütz

Resumo


O presente artigo, de cunho bibliográfico, tem por objetivo tematizar a atividade de pensar e sua relação com o sentido do comunicar no âmbito educacional, a partir das reflexões de Hannah Arendt. Não obstante, uma maneira que temos para estabelecer um vínculo com este mundo é a atividade do pensar, o pensar é o que nos permite buscar significados e sentidos, para qual em outras esferas de nossa existência não é possível, ou não temos espaço e nem tempo. Todavia, para a educação escolar não basta apenas pensar sobre os acontecimentos e experiências que nos rodeiam, é preciso comunicar o que pensamos. É a partir do comunicar que entramos em contato com o pensar de outras pessoas, e é esse momento em que nossos alunos/recém-chegados são desafiados a pensar por conta própria, ou seja, começam a se indagar sobre a sua relação com os acontecimentos, com as demais pessoas e as coisas.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Vanessa Sievers de. Educação em Hannah Arendt: entre o mundo deserto e o amor ao mundo. São Paulo: Cortez, 2011.

ARENDT, H. Responsabilidade e julgamento. Tradução de Rosaura Eichenberg. Edição de Jerome Kohn. Revisão técnica de Bethânia Assy e André Duarte. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

_____. A vida do espírito. Tradução de Antonio Abranches e Helena Martins. 2.ed. Rio de Janeiro: Relume Dumará/Ed. UFRJ, 1993.

_____. Homens em tempos sombrios. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

_____. Entre o passado e o futuro. Tradução de Mauro W. Barbosa. 7. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

_____. Was bleibt? Es bleibt dia Muttersprache. In: REIF, Adalbert (Hg.). Gespräche mit Hannah Arendt. München: Piper, 1976.

_____. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. Posfácio de Celso Lafer. 10.ed, Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

BENJAMIN, W. O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: _____. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. Prefácio de Jeanne Marie Gagnebin. 2.ed. São Paulo: Brasiliense, 1986. V. 1, pp. 197-221. (Obras escolhidas).

BOUFLEUER, J. P. Pedagogia latino-americana: Freire e Dussel. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 1991.

CARVALHO, J. Hannah Arendt pensa a educação. Revista Educação. Coleção Especial: Biblioteca do Professor nº 4. São Paulo: Editora Segmento, 2008.

FENSTERSEIFER, P. E. A responsabilidade social da educação escolar (ou “A escola como instituição republicana”). In: MASS, Adriana K.; ALMEIDA, Airton L.; ANDRADE, Elisabete (Orgs.). Linguagem, escrita e mundo. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2005.

HABERMAS, J. O Discurso Filosófico da Modernidade. 2ª ed. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

MARQUES, M.O. Conhecimento e modernidade em reconstrução. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 1993. (Coleção educação).

MORANDI, F. Filosofia da Educação. Tradução de Maria Emil P. Charnut. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

ROUANET, S. P. As raízes do iluminismo. São Paulo: Cia. das Letras, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.18616/ce.v7i1.3707



Direitos autorais 2018 Criar Educação

 

 

ISSN 2317-2452

Qualis

Ensino - B1

Linguística e Literatura - B3

Ciências ambientais, Comunicação e informação, Geografia, Interdisciplinar, Saúde Coletiva e Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis, e Turismo - B4

Educação, Planejamento Urbano e Regional/Demografia - B5

Biodiversidade e História - C

Editor: ALEX SANDER DA SILVA

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.