VIVER A PÓS-GRADUAÇÃO: LER E ESCREVER É PRECISO!

Eveline Boppré Besen Wolniewicz, Marimar da Silva, Nilo Otani

Resumo


Na pós-graduação, ler e escrever são habilidades linguísticas requisitadas com muita frequência aos estudantes. De cunho bibliográfico e reflexivo, o objetivo desse artigo é promover a reflexão sobre a importância da leitura crítica e da escrita acadêmica na formação de estudantes que escolheram viver a experiência da pós-graduação. Percebeu-se que é fundamental aprender a estudar, ler e escrever funcionalmente, como uma interação com o mundo mediada por sons e sinais gráficos. Por conseguinte, as informações disponíveis precisam ser transformadas em novas relações com o mundo e o desafio não se mostra de pequena proporção, uma vez que as pesquisas científicas sobre o tema apontam deficiências relacionadas à escolarização precária, dependência excessiva da bibliografia e esvanecimento do desejo de pensar dos estudantes.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith. A “revisão da bibliografia” em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis – o retorno. In: BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto (Orgs). A bússola do escrever: Desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis/São Paulo: Editora da UFSC/Cortez, 2002.

ANDERY, Maria Amália. Olhar para a história: caminho para a compreensão da Ciência hoje. In: ANDERY, Maria Amália et al. (orgs). Para compreender a Ciência: uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro: Garamond, 2007. p. 9-15.

BIACHETTI, Lucídio. Apresentação. In: BIANCHETTI, Lucídio (org.). Trama e texto. Leitura crítica, escrita criativa. v. I, São Paulo: Plexus, 1996.

BOTOMÉ, Sílvio Paulo. Questões de Estudo: Uma condição para instalar discriminação de aspetos importantes de um texto. Revista de Psicologia, v. 5, n. 2, p. 1-27, 1979.

BOTOMÉ, Sílvio Paulo; KUBO, Olga Mitsue; CORTEGOSO, Ana Lúcia. Tipos de Erros de redação frequentes em dissertações de pós-graduandos e de professores universitários. Texto não publicado, elaborado com fins exclusivamente didáticos, 2000.

BOTOMÉ, Sílvio Paulo; KUBO, Olga Mitsue. Responsabilidade social dos programas de pós-graduação e formação de novos cientistas e professores de nível superior. Interação em Psicologia, Curitiba, v. 6, n. 1, p. 81-110, 2002.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC/ SEB/ DICEI, 2013. 546p. Disponível em Acesso em: 10 nov. 2018.

CABRAL, Ana Paula; TAVARES, José. Leitura/compreensão, escrita e sucesso acadêmico: um estudo de diagnóstico em quatro universidades portuguesas. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 2, n. 9, p. 203-213, dez. 2005. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572005000200003. Acesso em: 3 nov. 2018.

ECO, Umberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 2006.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Escrita acadêmica: arte de assinar o que se lê. In: COSTA, Marisa Vorraber; BUJES, Maria Isabel Edelweiss (orgs). Caminhos investigativos III: riscos e possibilidades de pesquisar nas fronteiras. Rio de Janeiro: DP&A, p. 117-140, 2005. Disponível em: https://pedagogiascontemporaneas.files.wordpress.com/2017/08/fischer-rosa-maria-bueno-escrita-academica-arte-de-assinar-o-que-se-le.pdf. Acesso em: 9 nov. 2018.

FOUCAULT, Michel. Ditos & Escritos V: ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 15 ed. São Paulo: Cortez, 1986.

FREITAS, Maria Ester de. Viver a tese é preciso! Reflexões sobre as aventuras e desventuras da vida acadêmica. Revista de Administração de Empresas (RAE), São Paulo, v. 42, n. 1, p. 88-93, 2002. Trimestral. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v42n1/v42n1a09.pdf. Acesso em: 2 nov. 2018.

GOECKS, Cláudia Alice. Comportamentos Constituintes da Classe Geral de “Ler textos acadêmicos”. 2011. 129 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Psicologia, Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/95870. Acesso em: 3 nov. 2018

HUSSEIN, Carmem Lúcia. Leitura Crítica: revisão do conceito. Rio de Janeiro, Arquivo Brasileiro de Psicologia, v. 39, n. 3, p. 108-115, 1987.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Brasil no PISA 2015: análises e reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiros. 2015. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/pisa-no-brasil. Acesso em: 19 nov. 2018.

JUCHUM, Maristela. A escrita na universidade: uma reflexão com base no que os alunos dizem em seus textos. Revista Horizontes de linguística aplicada, v. 13, n. 1, p. 107-129, 2014. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/horizontesla/article/view/11597/10864. Acesso em: 12 dez. 2018.

KRAMER, Sônia. Leitura e escrita como experiência: notas sobre seu papel na formação. In: ZACCUR, Edwiges (org). A magia da linguagem. Rio de Janeiro: DP&A, 1999, p. 101-121.

LUNA, Sérgio Vasconcelos de. Planejamento de Pesquisa: Uma Introdução. São Paulo: EDUC, 2000.

MEC. Ministério da Educação. Documento de área: ensino. 2016. Disponível em: http://capes.gov.br/images/documentos/Documentos_de_area_2017/DOCUMENTO_AREA_ENSINO_24_MAIO.pdf. Acesso em: 5 nov. 2018.

MEIRA, Ana Cláudia Santos. A escrita científica no divã: entre as possibilidades e as dificuldades para com o escrever. Porto Alegre: EdiPucRS, 2007.

NEVES, Iara Conceição Bitencourt; SOUZA, Jusamara Vieira; SCHÄFFER, Neiva Otero; GUEDES, Paulo Coimbra; KLÜSENER, Renita. Ler e escrever: Compromisso de todas as áreas. 7. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

OLIVEIRA, Maria Helena Mourão Alves de. Funções da leitura para estudantes de graduação. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 1, n. 1, p. 61-68, 1996. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pee/v1n1/v1n1a09.pdf. Acesso em: 8 nov. 2018.

OLIVEIRA, Katya Luciane de; SANTOS, Acácia Aparecida Angeli dos; PRIMI, Ricardo. Estudo das relações entre compreensão em leitura e desempenho acadêmico na universidade. Interação em Psicologia, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 19-25, 2003. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/psicologia/article/view/3203/2565. Acesso em: 4 nov. 2018.

OLIVEIRA, Katya Luciane de; SANTOS, Acácia Aparecida Angeli dos. Estudo de intervenção para a compreensão em leitura na Universidade. Interação em Psicologia, v. 12, n. 2, p. 169-177, 2008. Disponível em:

https://revistas.ufpr.br/psicologia/article/download/9575/10246.

Acesso em: 18 nov. 2018.

OLIVEIRA, Katya Luciane de. Considerações acerca da compreensão em leitura no ensino superior. Revista Psicologia ciência e profissão, v. 31, n. 4, p. 213-224, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932011000400003. Acesso em: 18 nov. 2018.

PEREIRA, Marcos Villela. A escrita acadêmica: do excessivo ao razoável. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 52, p. 213-224, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v18n52/13.pdf. Acesso em: 10 nov. 2018.

POSTMAN, Neil; WEINGARTNER, Charles. Contestação: nova fórmula de ensino. Rio de Janeiro: Ed. Expressão e Cultura, 1974.

RIBEIRO, Renato Janine. Não há pior inimigo do conhecimento que a terra firma. Revista Tempo Social – Revista Sociologia da USP, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 189-195, 1999. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/12300/14077. Acesso em: 6 nov. 2018.

RUBANO, Denize Rosana. A leitura na universidade: análise do comportamento de ler como um referencial para a investigação de variáveis. 1987. 195 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Psicologia Experimental, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1987.

SCHÄFFER, Neiva Otero. Ler a paisagem, o mapa, o livro..: Escrever nas linguagens da geografia. In: NEVES, Iara Conceição Bitencourt et al. (org.). Ler e escrever: Compromisso de todas as áreas. 7. ed. Porto Alegre: Editora UFRGS, p. 86-103, 2006.

WARDE, Mirian. O papel da pesquisa na pós-graduação. Caderno de Pesquisa, São Paulo, v. 73, p. 67-75, 1990. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1098/1103. Acesso em: 1 nov. 2018.

ZINSSER, William. Como escrever bem: o clássico manual americano de escrita jornalística e de não ficção. São Paulo: Três Estrelas, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.18616/ce.v9i2.4901



Direitos autorais 2020 Criar Educação

 

 

ISSN 2317-2452

Qualis

Ensino - B1

Linguística e Literatura - B3

Ciências ambientais, Comunicação e informação, Geografia, Interdisciplinar, Saúde Coletiva e Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis, e Turismo - B4

Educação, Planejamento Urbano e Regional/Demografia - B5

Biodiversidade e História - C

Editor: ALEX SANDER DA SILVA

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.