O dia em que Urano entrou em Escorpião: poder, identidade e compreensão do outro

Saulo Rogério Rocha Pacheco

Resumo


A obra de Caio Fernando Abreu é de uma importância monumental, eu sei do problema que a imagem duma obra monumental tem para autores como ele, mas quis usar esse termo porque é justamente como tratei o conto que abordarei neste trabalho, como um monumento das questões de identidade sob um viés pós-moderno. Neste trabalho, eu me propus a realizar uma análise do conto “O dia em que Urano entrou em Escorpião”. Essa análise se deu ignorando uma série de coisas, dentre as quais destaco as relações com os outros contos da obra “Morangos Mofados” (da qual o conto faz parte), bem como o contexto em que foi escrita e traços da biografia do autor; acredito, e este trabalho é a prova disso, que esta obra tem a potência de falar por si mesma, talvez isso seja tratar o autor como morto, mas a intenção foi apenas de tratar a obra como viva. Ainda assim, mesmo que tenha escrito com essa proposta em mente, o que vos apresento é o produto de uma análise curiosamente estruturalista da literatura, ainda que feita com algum cuidado ao monumento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Linguagem, Ensino e Educação - Lendu

 


 ISSN 2526-7671