Implantação da Escola Municipal de Ensino Fundamental Filho do Mineiro

Bibiana Trindade de Freitas, Giani Rabelo

Resumo


O artigo aqui apresentado procura dar visibilidade à implantação da EMEF Filho do Mineiro na década de 1970, este que reconta parte se sua trajetória com o intuito de contribuir para a história e memória das instituições escolares de Criciúma. O objetivo principal desta pesquisa foi analisar como se deu a implantação da EMEF Filho do Mineiro, tendo como principal questão a origem do nome atribuído à escola e as características sociais e econômicas da comunidade do Distrito de Rio Maina no momento de sua implantação, entre outros. Como metodologia utilizou-se da abordagem qualitativa com o uso de fontes documentais e orais.
Através deste trabalho pude compreender a relação existente entre a Carbonífera Metropolitana e a Vila Operária de mesmo nome, esta relação que foi o alicerce de sustentação para que a localidade expandisse e deixasse de ser somente mais uma pequena Vila de Operários. Diante disso, se pode entender a importância da implantação da EMEF Filho do Mineiro para a comunidade do Bairro Metropol. Os objetivos propostos nesta pesquisa foram alcançados com base nos poucos documentos encontrados e nas memórias dos entrevistados. Contudo, é lamentável saber que muitos documentos e registros fundamentais para a história desta instituição de ensino tenham se perdido ao longo do tempo. De qualquer forma, acredito que esta pesquisa contribuirá para a preservação de parte deste patrimônio educativo que foi e é tão importante para as famílias que moraram no referido bairro e que ainda moram.

PALAVRAS CHAVE: Educação. Carvão. Memória.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v1i1.3184

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil