A ESCOLHA/PREFERÊNCIA DO CAMPO DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL DO/A PEDAGOGO/A NA PERSPECTIVA DOS FORMANDOS DO CURSO DE PEDAGOGIA

Beatriz Ferreira Fontana, Ricardo Luiz de Bittencourt

Resumo


Este artigo tem por objetivo identificar os motivos que influenciam os formandos do curso de Pedagogia na escolha/preferência do campo de atuação profissional. O trabalho fundamenta-se, principalmente, nos seguintes autores: Nóvoa (2000), Tardif (2007) e Contreras (2012). Inicialmente foi apresentado o processo de formação da identidade do curso de Pedagogia no Brasil, desde sua criação, no final da década de 30, até o ano de 2006 com a criação das Diretrizes Curriculares Nacionais que regem o curso de graduação. Também foi identificada e brevemente exemplificada cada um dos campos de atuação de um Pedagogo, que são cinco: Educação Infantil, Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos, Magistério e Gestão. Com a aplicação do questionário com os formandos do curso de Pedagogia da UNESC, foi possível identificar que a Educação Infantil é o campo de atuação de preferência dessas acadêmicas, e o principal motivo desta escolha é o gosto pessoal e a influência das experiências com crianças, tanto em escolas como na vida pessoal.

PALAVRAS CHAVE: Pedagogia. Formação de professor. Campos de atuação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v2i0.3390

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil