FORMAÇÃO DOCENTE DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNESC, COM ENFÂSE NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO

Morgana Fernandes Batista, Ricardo Luiz de Bittencourt

Resumo


A formação de professores é um processo complexo, uma vez que se entrelaçam diversos fatores, dentre os quais o estágio obrigatório. O objetivo geral desta pesquisa é “analisar a contribuição do Estágio Supervisionado Obrigatório para formação docente na perspectiva do licenciando do curso de licenciatura em Pedagogia da UNESC”. Alguns autores como Nóvoa (2009), Pimenta (2002) e Tardif (2002), entre outros, apontam perspectivas atuais de formação de professores. Já Pimenta e Lima (2012), Pimenta (2005), Moraes (2012) entre outros destacam o estágio supervisionado obrigatório como atividade formativa. Desenvolvemos a coleta de dados a partir da aplicação de um questionário com 15 (quinze) acadêmicos que cursavam a 8ª fase do curso de licenciatura em Pedagogia da UNESC no ano de 2016-1, no município de Criciúma-SC. As análises dos dados produzidas indicam que o estágio obrigatório tem forte impacto na formação dos licenciados em Pedagogia. Os sujeitos pesquisados indicam que o estágio supervisionado contribui para a escolha da modalidade em que querem atuar. Afirmam que este é o momento de fazer a articulação da teoria na prática e que este se constitui como atividade formativa por auxiliá-los em sua formação por inseri-los dentro da escola e da sala de aula para que seja possível observar a realidade escolar e, assim, refletir sobre sua prática pedagógica.

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professores. Estágio Supervisionado. Pedagogia. Teoria x Prática.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v2i0.3399

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil