GÊNERO E EDUCAÇÃO: UM PANORAMA DAS PESQUISAS ACADÊMICAS NO BRASIL A RESPEITO DA DOCÊNCIA MASCULINA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Tuéli Fonseca da Silva, Giani Rabelo

Resumo


O artigo aqui apresentado procura dar visibilidade às pesquisas feitas sobre a docência masculina na Educação Infantil e tem como objetivos geral e especifico analisar se as pesquisas acadêmicas abordavam o tema da docência masculina neste nível de Educação Básica. Como metodologia, utilizou-se a abordagem qualitativa, na medida em que foram realizadas análises das nove dissertações e uma tese encontradas no Banco de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), a partir dos seguintes descritores: “Docência Masculina” e “Professores Homens da Educação Infantil” Para a análise foram utilizados os seguintes referenciais: Louro (2003); Vianna (2013); Almeida (1998) entre outros. Dessa forma, foi possível analisar e compreender as dificuldades e preconceitos que são encontrados por professores homens que se dedicam a trabalhar na Educação Infantil. Os objetivos propostos nessa pesquisa foram alcançados com base nas entrevistas encontradas nas dissertações e teses. Contudo, ainda estamos muito longe de mudar a ideia de que o magistério é algo feminino, perante a sociedade. De qualquer forma, acredita-se que este artigo contribuirá para que muitas outras pesquisas sobre esse tema ainda sejam feitas, e que, em breve, tenhamos uma educação igualitária sem a diferenciação do gênero.

PALAVRAS CHAVE: Gênero. Docência Masculina. Educação Infantil.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v3i1.4578

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil