A RELEVÂNCIA DO ENSINO DE LIBRAS PARA A CRIANÇA SURDA A PARTIR DA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO

Yasmin de Souza Zuquinali, Ana Isabel Pereira Cardoso

Resumo


O artigo aborda sobre a relevância do ensino de Libras para a criança surda, a partir da educação infantil, apresentando o que é a língua brasileira de sinais, a cultura, a identidade surda e a importância da aquisição da língua. A língua de sinais é a base para que os surdos possam compreender e adquirir a língua portuguesa como segunda língua, que permite a inserção na sociedade e o acesso ao conhecimento e à cultura. Assim, o estudo teve como objetivo analisar se o ensino de Libras na Ed. Infantil influenciou no desempenho de uma criança surda no 1º ano do ensino fundamental. O método qualitativo da pesquisa teve como instrumento a entrevista com a professora titular e com a professora bilíngue da criança surda sobre a aquisição da primeira e da segunda língua, o aspecto social e o acompanhamento série/ano deste. Constatou-se, por meio da pesquisa, que o surdo pesquisado, ao ter contato com a língua de sinais desde a educação infantil não apresenta atraso cognitivo e desenvolve-se normalmente em período análogo ao da criança ouvinte. Embora, muitos sujeitos surdos são privados desse acesso e enfrentam diversas dificuldades no processo de ensino-aprendizagem, isso não se caracteriza pela deficiência, e sim por conta da privação da sua língua, a Libras.

PALAVRAS CHAVE: Educação de surdos. Libras. Aquisição de linguagem. Segunda língua.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v3i2.5105

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil