O CONCEITO DE NÚMERO NA PROPOSIÇÃO DAVIDOVIANA: UMA REFLEXÃO SOBRE AS MANIFESTAÇÕES DE ESTUDANTES DO PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Juliana Dal Pont Graciano Becker, Eloir Fátima Mondardo Cardoso

Resumo


Nesta pesquisa, discutem-se as manifestações que os estudantes revelam, com relação ao conceito de número, durante as aulas de matemática desenvolvidas conforme o modo de organização do ensino na perspectiva de Davídov3 e seus colaboradores. Desse modo, a pergunta norteadora do estudo define-se como: o que caracteriza as manifestações, com relação ao conceito de número, que os estudantes do primeiro ano do Ensino Fundamental de uma escola da rede particular de Criciúma expressam, quando o ensino é organizado segundo a proposição de Davídov e seus colaboradores? O procedimento de coleta de dados se deu pelo acompanhamento, e gravação de áudio e vídeo, pela pesquisadora durante as aulas. Os dados foram analisados na abordagem qualitativa a luz dos estudos de Davídov (2017). Tal estudo contrapõe os princípios didáticos da escola tradicional (resultantes no pensamento empírico) com os princípios do ensino desenvolvimental (possibilitam a formulação do pensamento teórico). As manifestações indicam que os alunos desenvolveram a ação investigativa, sendo que a atividade de estudo propiciou a análise das propriedades internas das grandezas, a relação com a unidade de medida e a formulação do modelo numérico. Desse modo, o estudo sugere que o Ensino Desenvolvimental possibilita aos alunos apropriações de caráter teórico com relação ao conceito científico de número, mesmo que algumas manifestações empíricas apresentam resquícios do ensino por vezes tradicional.

PALAVRAS CHAVE: Princípios Didáticos. Ensino Desenvolvimental. Número.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v3i2.5110

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil