MULHERES NEGRAS EDUCADORAS NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CRICIÚMA: OS DESAFIOS PARA O ENFRENTAMENTO DO RACISMO E SEXISMO

Gabriela de Abreu Ghisleri, Lucy Cristina Ostetto

Resumo


A presente pesquisa objetiva refletir sobre narrativas de mulheres negras educadoras na Rede Municipal de Ensino de Criciúma identificando nas suas trajetórias os desafios enfrentados para inserção e permanência no campo educacional, bem como o enfrentamento na luta contra o racismo e o sexismo. Por meio de entrevista com quatro educadoras negras da Rede Municipal de Ensino de Criciúma, foi realizada uma análise qualitativa de natureza básica com o objetivo de compreender suas experiências na educação básica. Para tanto, dialogamos com Bispo (2012), Carneiro (2003), Crenshaw (2012), Jesus (2010), Brasil (2003) e da Lei nº 10.639\03, dispositivo legal regulador das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana para a Educação Étnico-racial. Além da discussão a respeito do conteúdo legal, foram abordadas durante a análise questões referentes ao movimento feminista negro, às discriminações raciais sofridas pelas entrevistadas e as dificuldades para ingresso como docentes no campo educacional influenciada por estereótipos impostos pela sociedade brasileira sobre os negros. As educadoras entrevistadas acreditam que a educação é uma ferramenta de transformação capaz de construir uma sociedade mais justa e igualitária sem espaço para o racismo, o preconceito e a discriminação. Apontam que a trajetória para busca destes ideais fortalece uma luta social cujo resultado almejado faz com que qualquer desafio valha à pena.

PALAVRAS CHAVE: Educação. Escola. Feminismo negro. Mulheres negras. Narrativas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v3i3.5364

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil