DEMANDAS DOS BEBÊS: AS PERCEPÇÕES DAS PROFESSORAS SOBRE O PLANEJAMENTO NO BERÇÁRIO

Kelly de Oliveira Cardoso, Gislene Camargo

Resumo


O presente artigo teve como objetivo geral analisar as intencionalidades pedagógicas nas turmas de berçário, procurando responder o problema: Como deve acontecer o planejamento no berçário. Com isso, definiram-se como objetivos específicos: compreender a relação cuidar e educar nas turmas de berçário da Educação Infantil, relacionar o cuidar e educar ao planejamento e verificar a importância do projeto como planejamento no berçário. Para responder o problema e atingir os objetivos realizou-se uma pesquisa de campo de abordagem qualitativa. Com relação aos sujeitos da pesquisa, seis professoras da Educação Infantil foram entrevistadas. Dessas quatro já aturam nas turmas de berçário e duas estão atuando; três professoras pertencem a uma escola particular e três professoras a um Centro de Educação Infantil público, ambos localizam-se no município de Sombrio-SC. Como instrumento de coleta de dados utilizou-se entrevista semiestruturada contendo sete perguntas relacionadas ao cuidar e educar, planejamento e rotinas, os dados foram analisados à luz teórica, utilizando os seguintes autores: Brasil (2010), Barbosa e Horn (2008), Freitas (1999), Kramer (2005), entre outros. Neste estudo, foi possível perceber que as professoras apresentam entendimento sobre a importância do planejamento para o berçário, e as entrevistadas utilizam projetos como metodologia, procurando aliar o cuidar e o educar. Em determinados momentos o cuidar ainda se destacou, especialmente no que se refere ao cumprimento das rotinas.

PALAVRAS-CHAVE: Cuidar e educar. Planejamento. Rotina. Educação Infantil.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18616/rsp.v3i3.5365

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Saberes Pedagógicos

 

 

ISSN 2526-4559


Editor-chefe

Dr. Ricardo Luiz de Bittencourt

Corpo Editorial Científico

Dra. Andréia Morés, Universidade de Caxias do Sul, Brasil

Dr. Carlos Augusto Elsébio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Dr. Christian Muleka Mwewa – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Brasil

Dr. Gildo Volpato, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Brasil

Dra. Maria Antônia Ramos de Azevedo, Universidade Estadual Paulista, Brasil

Dra. Maria Isabel da Cunha, Universidade Federal de Pelotas, Brasil

Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina, Brasil 

Dra. Mariana Saez, Universidade Nacional La Plata, Argentina

Dra. Maria Veronica Leiva Guerrero, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Chile

Dra. Patrícia Jantsch Fiuza – Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil