A GÊNESE DO MERCADO DE TRABALHO E DO FENÔMENO DA INFORMALIDADE NO BRASIL: UMA BREVE INTERPRETAÇÃO À LUZ DA ECONOMIA SOCIAL E DO TRABALHO

Juliano Vargas

Resumo


Esta pesquisa objetiva expor e interpretar os principais acontecimentos da economia brasileira que contribuíram para a gênese e a conformação do trabalho informal no Brasil. Três fases são fundamentais para a discussão pretendida: a) prévia à Proclamação da República, baseada no sistema escravista e composta pelo período colonial (1530-1822) e imperial (1822-1889); b) transição para o assalariamento e o surgimento do mercado de trabalho no país (1890-1929), compreendida entre o final do século XIX e o final da década de 1920; c) a inflexão socioeconômica e as rápidas transformações no mercado de trabalho pós 1930, subdividida entre o início do governo Vargas até o final do regime militar (1930-1985) e os eventos que impactaram o cenário nacional após a redemocratização (1985-2010). Conclui-se que a gênese do mercado de trabalho brasileiro foi engendrada historicamente sob os signos da exclusão e da desigualdade, sendo a informalidade uma componente representativa desta realidade.

Palavras-chave: trabalho informal, mercado de trabalho, economia brasileira. 

 


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 Seminário de Ciências Sociais Aplicadas

ISSN 2236-1944