ATIVIDADES AGRÍCOLAS: UM ESTUDO COM 12 MUNICÍPIOS CATARINENSES

Nicole Victor Gomes, Igor Martello Olsson, Melissa Watanabe

Resumo


O estudo do uso da terra e, portanto, das áreas produtivas, é relevante para a manutenção das capacidades socioeconômicas dos indivíduos envolvidos na atividade direta ou daqueles beneficiados pelo produto final. Dada a característica finita dos recursos naturais tais quais a terra agricultável e a água potável, faz-se necessário compreender a extensão de sua utilização e a pressão que exercem nas áreas em que estão inseridos. O presente artigo busca, a partir da análise das atividades agrícolas de produções permanente e temporária, do extrativismo vegetal e da silvicultura, além das atividades pecuárias e aquiculturas, compreender os impactos e pressões espaciais regionais e produtivas das atividades econômicas. De caráter exploratório quantitativo, o artigo tem como base dados secundários fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por fim, a região sul, de modo geral, apresentou aumento na produção das lavouras permanentes, destacando-se a produção de palmito em Imaruí, e diminuição na lavouras temporárias. Na região oeste, por sua vez, observou-se a expansão da produção das lavouras temporárias, destacando-se o cultivo de soja em Vargem Bonita. A região norte, em contrapartida perdeu volume produtivo em ambos os tipos de lavoura.

Palavras-chave: Atividades Agrícolas, Uso da Terra; Produção Agropecuária


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 Seminário de Ciências Sociais Aplicadas

ISSN 2236-1944