A CONCILIAÇÃO COMO RESULTADO DA EDUCAÇÃO FAMILIAR

Sheila Martignago Saleh, Tiago de Costa Gonçalves

Resumo


No presente artigo buscamos analisar o impacto desencadeado pelo projeto de extensão: “Prevenção e erradicação da alienação parental: o direito da criança e do adolescente à convivência familiar sadia”, nas Casas da Cidadania em que esteve presente, a partir do número de atendidos, seja de forma direta ou indireta, e comparando aos números de acordos extrajudiciais realizados. O projeto analisado trata da conscientização a respeito da Síndrome de Alienação Parental, que surge principalmente nos ambientes de separações e disputas pela guarda dos filhos, entretanto, além dessa temática, abordaremos o surgimento do instituto do divórcio no Brasil e sua evolução, e, posteriormente, a evolução da família brasileira e seus atuais conceitos, para, então, chegarmos à análise dos dados do projeto, sendo que foram coletados os números dos atendimentos prestados e os números de acordos das Casas em que o projeto passou. Em resumo, os resultados encontrados foram que o projeto atingiu, nos três anos de atividade, 1.234 pessoas, seja de forma direta ou indireta, e em seu primeiro ano, quando as atividades estiveram concentradas apenas na Casa da Cidadania da Próspera, houve um aumento do número de acordos extrajudiciais celebrados quando comparado com os anos anteriores. Para a realização da pesquisa foi utilizado o método indutivo. Conclui-se, pelo exposto, que o referido projeto tem esclarecido aos assistidos das Casas de Cidadania acerca da Alienação Parental e da sua respectiva Lei, contribuindo para um diálogo entre os cônjuges, propiciando para que os acordos extrajudiciais sejam concluídos de forma mais benéfica à criança e/ou adolescente.

Palavras-chave: divórcio; família; alienação parental; acordo extrajudicial


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 Seminário de Ciências Sociais Aplicadas

ISSN 2236-1944