PRINCÍPIOS COOPERATIVISTAS COMO FORMA DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO

Fábio Visintin, Dimas de Oliveira Estevam

Resumo


As sociedades cooperativas, desde sua origem baseados nos ideais dos pioneiros de Rochdale, evoluíram significativamente, dando origem aos princípios basilares, que consequentemente evoluíam com o passar do tempo. A sociedade cooperativista quando pautada nos seus princípios norteadores, possibilita, ao associado, ter acesso pleno a todos os direitos individuais e políticos, sociais e econômicos que asseguram a estes uma vida digna, com inserção na comunidade e à sociedade. O cooperativismo é um meio no qual, pessoas se unem para atingirem objetivos específicos, por meio de um acordo para cooperação entre os seus cooperados. As cooperativas assumem um papel de grande importância neste cenário de desenvolvimento local, pois buscam a inclusão social e econômica de todos os indivíduos integrados neste sistema, atualmente, pautados pelos princípios cooperativistas, que foram aprovados em 1995 no Congresso da ACI em Manchester, os quais mencionam: Adesão livre e voluntária, Gestão democrática pelos membros, Participação econômica dos membros, Autonomia e independência, Educação, formação e informação, Intercooperação e Interesse pela comunidade. O presente estudo tem como principal escopo analisar a aplicabilidade dos princípios cooperativistas e sua influência no desenvolvimento socioeconômico local. Com base neste cenário é de grande relevância mencionar que o arcabouço principiológico das cooperativas está repleto de normas, que resplandecem o termo cooperativo, fundado em valores humanísticos, da fraternidade e da ajuda mútua, seguindo de norte para a condução das sociedades cooperativistas. As cooperativas se apresentam como uma alternativa de desenvolvimento socioeconômico, pautando nos princípios para combater as desigualdades sociais que vêm marginalizando inúmeras pessoas. Entretanto, não basta que a cooperativa seja um meio para o desenvolvimento socioeconômico, é necessário que haja participação ativa de todos os cooperados, fazendo-se valer o objetivo do cooperativismo, de forma atuante e efetiva, sempre pautado pelos princípios basilares. Caso contrário, o pensamento cooperativista teria apenas cunho utópico, sem aplicação prática e sem reflexos no desenvolvimento socioeconômico da região. O cooperativismo, aplicando a temática principiológica, possibilita aos associados acesso pleno a todos os direitos individuais e políticos, sociais e econômicos que asseguram a estes uma vida digna, com inserção na comunidade e à sociedade. Não há dúvidas que as sociedades cooperativistas assumiram um papel de suma importância para o cenário do desenvolvimento socioeconômico com base na participação e na influência que as cooperativas desempenham no local em que estão inseridas. Assim, conclui-se que as cooperativas que seguem os seus princípios norteadores adquirem um papel de grande importância no cenário atual, pois buscam a
Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC Página 2
inclusão socioeconômica e a melhoria da qualidade de vida de todos, beneficiando não apenas seus cooperados, mas toda a comunidade integrada a este sistema, criando um ambiente local de desenvolvimento socioeconômico.

Palavras-chave: Cooperativismo; Princípios; Desenvolvimento Socioeconômico.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Seminário de Ciências Sociais Aplicadas

ISSN 2236-1944