MBL E A PRESSÃO SOCIAL NA COMPOSIÇÃO DO ESTADO BURGUÊS BRASILEIRO

Carlos Ismael Severo Moreira

Resumo


O presente trabalho busca identificar, em um caso empírico, dinâmicas de luta por poder no interior do Estado burguês brasileiro, com base nos pressupostos das interpretações teóricas sobre o Estado na América Latina nas últimas quatro décadas. Para tanto, realizamos um estudo de caso sobre o Movimento Brasil Livre (MBL) enquanto grupo de pressão social, no período a partir das manifestações que antecederam o impeachment de Dilma Rousseff até os recentes desdobramentos do governo de Michel Temer. Para estabelecer o diálogo entre as práticas do grupo e as teorias, partimos de uma breve exposição dos conceitos norteadores da análise. Em seguida, utilizamos dados secundários para traçar o perfil dos apoiadores do MBL e, na sequência, identificamos na atividade do movimento as relações sociais que criam e são criadas pelo Estado burguês. Entre os resultados, observamos o uso pelo MBL de um discurso neopopulista, nacionalista e polarizador em torno do combate à corrupção para defender, enquanto integrante da alta classe média, aliada da burguesia internacionalizada, os interesses dessa última na luta entre blocos de poder, que configura o equilíbrio contraditório do Estado.
Palavras-chave: MBL, Estado na América Latina, Estado burguês, burguesia interna, burguesia internacionalizada, pressão social


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Seminário de Ciências Sociais Aplicadas

ISSN 2236-1944