A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES INVISIBILIZADA PELO DISCURSO DO BOM CATARINENSE: UMA ANÁLISE DE RELATOS DE POLICIAIS MILITARES DO 9º BATALHÃO DE CRICIÚMA

Marina da Silva Schneider, Michele Gonçalves Cardoso

Resumo


O presente trabalho buscou uma análise da construção da identidade do catarinense, seu papel estereotipado que construiu e ainda constrói no imaginário coletivo a ideia de um estado, ou o próprio Sul, como uma região mais desenvolvida e com maior capacidade intelectual e braçal que outras regiões, fundamentando o discurso do ‘bom catarinense’, homogêneo, com supostas diferenciações culturais em comparação com outros estados, pautadas num perfil voltado ao trabalho ea família. Nesse sentido, partindo de uma análise do cotidiano e da violência contra a mulher em Santa Catarina, com recorte específico para a cidade de Criciúma, e fundamentando a pesquisa em relatos de policiais militares do 9º Batalhão de Polícia Militar, que este trabalho irá analisar o discurso do catarinense portador de uma identidade imutável, percebendo como esse discurso é construído e, como o mesmo, permite mascarar diversos problemas, entre eles, a violência contra a mulher.
Palavras-chave: Identidade, Discurso, Violência de Gênero.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Seminário de Ciências Sociais Aplicadas

ISSN 2236-1944