PRESERVAÇÃO E VALORIZAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUEOLÓGICO ANGOLANO NO CONTEXTO NACIONAL E MUNDIAL: CASO DO SÍTIO DE MBANZA KONGO (Candidato a Património da Humanidade)

Ziva Domingos

Resumo


A Política Cultural de Angola aprovada em Janeiro de 2011 pelo Executivo reconhece que o património cultural e natural (incluíndo o património arqueológico) representam um dos pilares do desenvolvimento socio-cultural e económico de Angola. Por conseguinte, este património merece ser preservado e valorizado a todo custo. Uma das melhores formas de preservar e valorizar este rico património é classicá-lo, não somente como património cultural e natural nacional, mas também como património da Humanidade de acordo com o seu Valor Universal Excepcional a fim de ser partilhado pelos povos do mundo inteiro.

Texto completo:

PDF




Direitos autorais



 

 

ISSN Eletrônico 2358-9426

ISSN Impresso 1413-8131

 

Qualis Interdisciplinar - B4

Ciências Ambientais, Engenharia I, Geociências, História e Planejamento Urbanos e Regional/Demografia - B5

Antopologia/Arqueologia, Biodiversidade e Ciência de Alimentos - C 

 

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.