DESTINAÇÃO DE CARCAÇAS DE ANIMAIS MORTOS PROVENIENTES DE SUINOCULTURA EM GRANJA NO ESTADO DO PARANÁ

Rafaela Franqueto, Angelo Antonio Delponte, Renan Franqueto, Jonas Andre Bankersen

Resumo


A suinocultura no Brasil e no Paraná, tem sido uma atividade tradicional, implementada em pequenas propriedades rurais. A suinocultura brasileira está bem consolidada, e podemos identificar isso devido ao país ser o 4º maior produtor e exportador de carne suína no âmbito mundial. O rebanho é estimado em 2,4 milhões de matrizes, e com uma cadeia produtiva reunindo em torno de 50 mil produtores. Tem - se observado expansão na atividade, e assim, consequentemente, deve - se ter cada vez mais interesse na destinação correta dos dejetos e resíduos produzidos pelo rebanho que possuímos em todo o nosso país O objetivo deste trabalho foi caracterizar o sistema de criação de suínos e as destinações dos resíduos gerados por estas criações. Para coleta dos dados, foram realizadas visitas “in loco” e coletados os dados: sistema de produção, número de animais, taxa de mortalidade, destinação da carcaça dos animais mortos e destinação dos dejetos. A partir do levantamento verificou-se que o sistema de destinação e tratamento da carcaça dos animais era realizado por compostagem. A granja encontra-se em conformidade com a legislação ambiental nacional e estadual.

Palavras-chave: suinocultura; compostagem; carcaças de suínos; dejetos da suinocultura


Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Tecnologia e Ambiente



 

 

ISSN Eletrônico 2358-9426

ISSN Impresso 1413-8131

 

Qualis Interdisciplinar - B4

Ciências Ambientais, Engenharia I, Geociências, História e Planejamento Urbanos e Regional/Demografia - B5

Antopologia/Arqueologia, Biodiversidade e Ciência de Alimentos - C 

 

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.