A Alimentação saudável na melhora dos sintomas da Síndrome dos Ovários Policísticos

Uma revisão da literatura

Autores

  • Carolina Canever Fortunato UNESC
  • Sandra Soares Melo Universidade de São Paulo - USP

DOI:

https://doi.org/10.18616/inova.v14i4.7685

Resumo

A composição ideal da dieta destinada a melhorar as características clínicas da síndrome dos ovários policísticos (SOP), permanece desconhecida até o atual momento. A falta de alvos únicos para intervenções dietéticas ou de atividade física apoia a posição da nova Diretriz para promover recomendações de estilo de vida saudável para o manejo da SOP. O objetivo do presente estudo é realizar uma revisão crítica da literatura científica sobre o manejo dietoterápico na SOP. Trata-se de uma revisão da literatura a qual foi elaborada a partir da análise de publicações científicas na base de dados PubMed (MEDLINE), no período de 2016 a 2022, que referenciavam o tema proposto. Os descritores utilizados para a pesquisa foram ‘’polycystic ovary syndrome and diet therapy’’, inseridos de acordo com os termos do Medical Subject Headings. Dentre os 203 estudos, foram selecionados 22 artigos, os quais se adequaram aos critérios estabelecidos na pesquisa. Concluiu-se que a maioria dos estudos de intervenção utilizou dietas com baixo teor de carboidratos para melhorar as diferentes manifestações da SOP, com resultados satisfatórios principalmente para a dieta Mediterrânea e DASH, além de low carb, restrição calórica e dieta cetogênica. Observa-se que há escassez de estudos que analisam comparativamente mais de uma estratégia nutricional como por exemplo low carb e Mediterrânea e low carb e DASH, para avaliar os resultados entre diferentes composições dietéticas.

Biografia do Autor

Sandra Soares Melo, Universidade de São Paulo - USP

Nutricionista em Clínica de Nutrigenômica e Doutora em Ciências dos Alimentos pela Universidade de São Paulo. Professora de Pós-Graduação.

Downloads

Publicado

2024-02-19

Edição

Seção

Atenção à Saúde