CASOS DE HANSENÍASE NOTIFICADOS EM MENORES DE 15 ANOS EM BACABAL-MA

Autores

  • Thallyson Jaryelson Soares Sousa Universidade Estadual do Maranhão
  • Ricardo Henrique Linhares Andrade Universidade Estadual do Piauí
  • Maria Beatriz Pereira da Silva Universidade Estadual do Maranhão
  • José Hilton Lima de Oliveira Universidade Estadual do Maranhão
  • Joelson dos Santos Almeida Universidade Estadual do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.18616/inova.v14i4.7923

Resumo

Objetivo: descrever os casos de hanseníase em menores de 15 anos notificados no município de Bacabal–MA. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, retrospectivo de abordagem quantitativa de casos de Hanseníase notificados, residentes em Bacabal-MA, notificados no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN), no período de 2008 a 2017. Resultados: Houve registro de 119 casos de hanseníase com taxas de detecção hiperendêmicas na população de menores de 15 anos em 2008, 2011 e 2013, com predomínio do sexo feminino (51,3%), faixa etária: 10 a 14 anos (68,9%), pretos (41,2%), Ensino Fundamental completo (79,8%), moradores da zona urbana (79%), notificados pela atenção básica (56,3%). Os achados clínicos e terapêuticos mais frequentes foram: classificação operacional: Multibacilar (62,2%); formas clínicas: dimorfa (47,9%) e tuberculóide (30,3%); lesão única (63%); sem nervos afetados (68,1%); grau de incapacidade zero (63%); baciloscopia não realizada (52,9%) e esquema terapêutico 12 doses (62,2%). Predominaram tipo de entrada: caso novo (86,6%); modo de saída: cura (84,9%) e modo de detecção: demanda espontânea (39,5%). Conclusão: A hanseníase é endêmica nos casos analisados em Bacabal-MA, que reflete na necessidade de maiores ações de vigilância em saúde na busca ativa para detecção precoce dos casos da população menor de 15 anos.

Downloads

Publicado

2024-02-19

Edição

Seção

Epidemiologia