CARCINOMA DUCTAL INVASIVO ASSOCIADO À DOENÇA DE PAGET DE MAMA EM HOMEM JOVEM: UM RELATO DE CASO

Autores

  • Giovana Soratto UNESC
  • Cecília Juliani Felipe
  • Laura Ceolin de Jesus
  • Maria Eduarda Serafin da Soller
  • Mirela Salvaro
  • Adriano Cartaxo Esmeraldo

DOI:

https://doi.org/10.18616/inova.v13i3.8328

Resumo

O CA (câncer) de mama possui ampla variação morfológica e molecular, sendo uma doença maligna e heterogênea1. Representa a neoplasia mais incidente no Brasil no sexo feminino, excluindo-se o câncer de pele não melanoma1,2. No sexo masculino representa 1% do número total de casos da doença2. P.P.S., 56 anos, masculino chegou ao serviço de mastologia devido ao laudo de biópsia de pele de mama direita, que apresentava neoplasia maligna indiferenciada, infiltrando epiderme e derme, com área de ulceração e margens livres. À imunohistoquímica era sugestivo de CA de mama invasivo de derme e epiderme e apresentava RE (Receptor de Estrogênio) positivo. Ao exame físico, identificou-se espessamento na região do complexo areolopapilar em mama direita. A conduta contou com início de TMX (tamoxifeno) e encaminhamento para MMG (mamografia), a qual teve resultado normal. Na USG (ultrassonografia) foi detectado espessamento retroareolar de mama direita. Diante das alterações no exame de imagem foi realizada PAAF (Punção Aspirativa com Agulha Fina) da lesão, detectando um CDI (Carcinoma Ductal Invasivo) de Grau 2. À imunohistoquímica, conclui-se carcinoma do tipo Luminal B. Posteriormente, foi programada mastectomia radical modificada. O estadiamento pós-operatório da lesão confirmou tumor pT4bpN1aM0 e doença de Paget associada. Dessa maneira, o relato apresenta um CA incomum em homem, fazendo-se necessário o conhecimento da doença para um atendimento adequado e uma conduta segura e efetiva.

Downloads

Publicado

2023-12-08