INOVAÇÃO NO ENSINO: COMO A INTERNET DAS COISAS PODE TRANSFORMAR A DOCÊNCIA

Autores

  • Guilherme Sirtori
  • Maria Luiza Furlanetto Carrer
  • Lucas Tartarotti Universidade de Caxias do Sul - UCS
  • Andréia Morés

DOI:

https://doi.org/10.18616/ce.v11i1.5910

Resumo

O uso da internet das coisas (IoT) permite o compartilhamento de informações de forma independente e inteligente, caracterizando inovação. Nesse contexto, há um potencial a ser explorado nas atividades acadêmicas, fazendo com que as ferramentas utilizadas, tornarem-se participantes ativas no ensino e assim, os docentes atuem na supervisão do processo, analisando dados e otimizando recursos. Essa visão permite implementar novas metodologias de ensino, estabelecendo conceitos operacionais inovadores e controles inteligentes, concentrando-se nos alunos e suas necessidades particulares. O objetivo deste artigo é buscar compreender como a inovação, principalmente através da IoT, pode transformar a prática da docência. Para tal, foi realizado um estudo teórico. Espera-se com este trabalho demonstrar a possibilidade de transformação do ensino, rompendo o paradigma da abordagem pedagógica habitual através da gradativa inserção de inovações emergentes. Esta pesquisa apresenta como contribuição o modelo teórico que representa a relação da inovação com a docência, a partir da mudança das concepções tradicionais vigentes na educação.

Biografia do Autor

Guilherme Sirtori

Mestre em Administração pela Universidade de Caxias do Sul (Rio Grande do Sul/Brasil). E-mail: gsirtori@ucs.br.

Maria Luiza Furlanetto Carrer

Mestre em Administração pela Universidade de Caxias do Sul (Rio Grande do Sul/Brasil). E-mail: mlcarrer@ucs.br.

Lucas Tartarotti, Universidade de Caxias do Sul - UCS

Mestre em Administração pela Universidade de Caxias do Sul (Rio Grande do Sul/Brasil). E-mail: lucas.t10@hotmail.com.

Andréia Morés

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Rio Grande do Sul/Brasil). Professora na Universidade de Caxias do Sul (Caxias do Sul/Brasil).E-mail: anmores@ucs.br.

Referências

BARNEY, J. Editor’s comments: Theory contributions and the AMR review process. Academy of Management Review, v. 43, n. 1, p. 1-4. 2018.

BEHRENS, Marilda Aparecida. O Paradigma emergente e a prática pedagógica. Curitiba: Champagnat - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 1999.

BESSANT, J.; TIDD, J. Inovação e empreendedorismo. Porto Alegre: Bookman, 2009.

BRAGA, Ana Maria; GENRO, Maria Elly; LEITE, Denise. Universidade Futurante: Inovação entre as certezas do passado e incertezas do futuro. In: LEITE, Denise B. C.; MOROSINI, Marília; et al (org.). Universidade Futurante: produção do ensino e inovação. 2ª. ed. Campinas, SP: Papirus, 2002.

CARVALHO, M. M. Inovação: estratégias e comunidades de conhecimento. São Paulo: Atlas, 2009.

CISCO. Internet of Things. Disponível em: https://www.cisco.com/c/pt_br/index.html. Disponível em: 21/05/2018.

COOPER, R. D.; SCHINDLER, P. S. Métodos de Pesquisa em Administração. 12. ed. Porto Alegre: Bookman, 2016.

CUNHA, Maria Isabel da. Aula universitária: Inovação e pesquisa. In: LEITE, Denise B. C.; MOROSINI, Marília; et al (org.). Universidade Futurante: produção do ensino e inovação. 2ª. ed. Campinas, SP: Papirus, 2002.

FINEP – Empresa Brasileira de Inovação e Pesquisa. Kevin Ashton – entrevista exclusiva com o criador do termo “internet das coisas”: 13/01/2015. Disponível em: . Acesso em 21/05/2018.

FLICK, U. Introdução à metodologia de pesquisa: um guia para iniciantes. [recurso eletrônico] 1ªEd. Porto Alegre, RS: Editora Penso, 2012.

GIBBS, G. Análise de Dados Qualitativos. Porto Alegre: Bookman, 2009.

IBM. A internet das coisas – Youtube, IBM mídia social. 2010. Disponível em: . Acesso em: 21/05/2018.

GARTNER. Hight-Tech Tuesday Webinar: Enabling Future Smart Workspaces With IoT. 2016. Disponível em: . Acesso em 21/05/2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HAIR Jr. J. F.; BUSH, R. P.; ORTINAU, D. J. Marketing research: a practical approach for the new millennium. New York: Irwin/McGraw-Hill, 2000.

HERMANN, M.; PENTEK, T.; OTTO B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios: A Literature Review. Working Paper. Nº. 01, 2015.

JAZDI, N. Dynamic calculation of the reliability of factory automation applications. IEEE - International Conference on Automation, Quality and Testing, Robotics. p.55-60, 2016.

LEITE, Denise. Reformas Universitárias. Avaliação Institucional Participativa. Petrópolis: Ed. Vozes, 2005.

MANUAL DE OSLO. Diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. ARTI e FINEP. Trd.: Flávia Gouveia, 2005.

MARCONI, M. A.de; LAKATOS, E. M. Metodologia do Trabalho Científico. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MASCARENHAS, S. A. Metodologia científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012.

MENEGHETTI, F. K. What is a theoretical essay?. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 2, p. 320-332, 2011.

MORAES, Maria Cândida. O paradigma emergente. Campinas: Papirus, 1997.

PARENT, M. et al. Knowledge creation in focus group: can group technologies help? Information & Management. v. 28. p. 47-52, 2000.

POSITIVO. A internet das coisas na educação: aplicações e benefícios. Aline Caron, 2016. Disponível em: . Acesso em 21/05/2018.

NÓVOA, Antônio. Devolver a formação de professores aos professores. Cadernos de pesquisa em educação. PPGE/UFES Vitória, ES. a. 9, v. 18, n. 35, p. 11-22, jan./jun. 2012

RODRIGUES, L. F.; JESUS, R. A.; SCHUTZER, K. Industrie 4.0 – Uma revisão da literatura. Revista de Ciência e Tecnologia. v.19, n. 38, p. 33-45, 2016.

SANTOS, Boaventura de Souza. A Universidade no Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. São Paulo: Cortez, 2004.

SCHUMPETER, J. A.. Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma pesquisa sobre lucros, capital, crédito, juros e o ciclo econômico. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

SCHUMPETER, J. A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

SILVA, A. R. et al. Aplicando Internet das Coisas na Educação: Tecnologia, Cenários e Projeções. In. VI Congresso Brasileiro de Informática e Educação. WCBIE, 2017. 1256-1267.

SILVA, M. E.; CANDIDO, G. A. The business contribution for sustainable consumption: a proposal of theoretical categories and analytical parameters. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, v. 13, n. 1, p. 74-88, 2014.

VERGANA, S. C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 16. ed. São Paulo: Atlas, 2016.

VERGARA, S. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1997.

Downloads

Publicado

2022-09-28