CONTRIBUIÇÕES DA VIVÊNCIA DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM MATEMÁTICA NO FAZER DOCENTE: UMA EXPERIÊNCIA

Autores

  • Gabriel de Oliveira Soares Universidade Franciscana
  • Jussara Aparecida da Fonseca Instituto Federal Farroupilha - Campus Alegrete

DOI:

https://doi.org/10.18616/ce.v11i1.6069

Resumo

Já dizia Paulo Freire (1991) que a gente se faz professor na prática e na reflexão da prática. Nesse sentido, os estágios curriculares supervisionados são um dos primeiros momentos em que os professores em formação atuam como docentes, podendo testar alternativas didáticas e refletir sobre seu papel enquanto professor. Assim, nesse trabalho relata-se a vivência do período de Estágio Supervisionado com alunos de um curso Técnico em Agropecuária na modalidade integrado ao Ensino Médio, nas aulas de Matemática, em uma instituição de ensino básico, técnico e tecnológico de rede federal de ensino, localizada no município de Alegrete, Rio Grande do Sul. Apresentando algumas das práticas desenvolvidas durante a experiência, pode-se refletir sobre as contribuições das mesmas para a aprendizagem da docência do professor em formação, principalmente no que tange às metodologias utilizadas e à concepção de avaliação.

Biografia do Autor

Gabriel de Oliveira Soares, Universidade Franciscana

Mestre em Ensino de Ciências e Matemática (UFN). Especialista em Matemática (FURG). Licenciado em Matemática (IFFar).

Jussara Aparecida da Fonseca, Instituto Federal Farroupilha - Campus Alegrete

Doutora em Ensino de Ciências e Matemática (UFN). Docente EBTT do IFFar - Campus Alegrete.

Referências

AGUIAR JR., C. A.; NASSER, L. Analisando justificativas e argumentação matemática de alunos do Ensino Fundamental. Vidya, v. 32, n. 2, 2012, p. 133-147.

ANTUNES, T. P. Design de uma prova escrita de matemática: um processo reflexivo da prática avaliativa. 121f. 2018. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2018.

BRASIL. (2001). Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES13022.pdf>. Acesso em 29 jun. 2020.

BORBA, M. C.; PENTEADO, M. G. Informática e Educação Matemática. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2012.

CARNEIRO, R. F.; PASSOS, C. L. B. A utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação nas aulas de Matemática: limites e possibilidades. REVEDUC, v. 8, n.2, 2014. p. 101-119.

FIORENTINI, D.; CASTRO, F. C. Tornando-se professor de matemática: o caso de Allan em prática de ensino e estágio supervisionado. In: FIORENTINI, D. Formação de professores de matemática: explorando outros caminhos com novos olhares. Campinas: Mercado das Letras, 2003. p. 121-156.

FLORES, C. R.; WAGNER, D. R.; BURATO, I. C. F. Pesquisa em visualização na educação matemática: conceitos, tendências e perspectivas. Educação Matemática Pesquisa, v. 14, n. 1, 2012. p. 31-45.

FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1991.

IFFAR. Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Agropecuária Integrado. 2014. Disponível em: <https://www.iffarroupilha.edu.br/projeto-pedag%c3%b3gico-de-curso/campus-alegrete>. Acesso em: 15 jun. 2020.

LIMA, M. L. S.; LINS, A. F.; PEREIRA, P. S. Provas e demonstrações matemáticas e o aplicativo GeoGebra: incentivo à visualização para alunos do 2º ano do Ensino Médio. Vidya, v. 38, n.1, 2018. p. 199-221.

LOPES, A. R. L. V. Aprendizagem da docência em Matemática: o clube de matemática como espaço de formação inicial de educadores. Passo Fundo: Editora UPF, 2009.

PERIRA, P. M.; BORBA, V. M. L. A prática do professor de Matemática dos anos iniciais: da formação inicial ao cotidiano da ação educativa. Revista Educação Pública, v. 16, n.13, 2016. p. 1-7.

PERLIN, P. Constituindo-se professor de matemática: Relações estabelecidas no estágio curricular supervisionado determinantes da aprendizagem da docência. 323f. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

SILVA, C. S. C.; TEIXEIRA, M. A. P. Experiências de Estágio: Contribuições para a Transição Universidade-Trabalho. Paidéia, v. 23, n.54, 2013. p. 103-112.

SOARES, G. O.; VARGAS, A. F.; LEIVAS, J. C. P. Percepções e sentimentos de alunos do ensino médio em relação à matemática. BOCEHM, v. 7, n. 19, 2020. p. 5-23.

Downloads

Publicado

2022-09-28