PROPOSTA DE ENSINO DE EQUAÇÃO DO PRIMEIRO GRAU NA PERSPECTIVA DO ENSINO DESENVOLVIMENTAL

Autores

  • Marco Antonio Antunes Vieira UNESC
  • Danielly Vitorio UNESC
  • Eloir Fátima Mondardo Cardoso UNESC

Resumo

O trabalho refere-se ao desenvolvimento do  Estágio Supervisionado no Ensino Fundamental I e II, do curso de Licenciatura Plena em Matemática da Universidade do Extremo Sul Catarinense-UNESC. Inicialmente, no primeiro semestre de 2020, ocorreu o estudo do referencial com fundamentos psicológicos da Teoria Histórico-Cultural e pedagógicos do Ensino Desenvolvimental.  

O estudo destes referenciais subsidiaram a organização das tarefas  para o desenvolvimento do conceito de equação do primeiro grau, com estudantes do oitavo ano do Ensino Fundamental, no segundo semestre do mesmo ano, em uma escola pública da rede municipal de Criciúma-SC. 

O estágio se constitui como uma atividade fundamental no processo de formação do professor de matemática, uma vez que oportuniza ao acadêmico, vivenciar a prática escolar, por meio dos conhecimentos didáticos pedagógicos e conceitos específicos de matemática apropriados durante o curso.

O estudo na disciplina de estágio dos pressupostos da Teoria Histórico-Cultural e  do Ensino Desenvolvimental,  se justifica por ser o referencial que embasa a Diretriz Curricular do Ensino Fundamental (2020) da rede municipal de Criciúma. Nesta perspectiva, um dos objetivos no processo do ensino é desenvolver o pensamento teórico dos estudantes. Segundo Vygotski o ser humano passa por várias apropriações e constante desenvolvimento. Então por se tratar de um processo de ensino aprendizagem, Davydov atribui como ponto central à apropriação de conceitos teóricos por estudantes, traz que para compreender um conceito antes precisamos compreender sua essência. Assim, elencamos a seguinte problematização: como organizar o ensino do conceito de equação do primeiro grau para desenvolver o pensamento teórico dos estudantes?


Metodologia

A pesquisa teve início com o estudo do referencial teórico da Teoria Histórico-cultural, a partir de Damazio e Rosa (2013)e do conceito matemático equação do primeiro grau Dorigon (2013). Para a organização do plano de ensino do conceito de equação do primeiro grau reformulamos para o oitavo ano do Ensino Fundamental, onze  tarefas criadas por Davydov e seus colaboradores de acordo com Dorigon (2013). Para o desenvolvimento das tarefas e propiciar a participação dos alunos,  utilizamos o aplicativo Google Meet com  aulas síncronas aos alunos com acesso a internet. Também,  foi disponibilizada a gravação das aulas para estudos posteriores. Aos alunos que não possuem acesso a internet,  foram desenvolvidas apostilas com as 11 tarefas junto com orientações para o desenvolvimento das mesmas. A escola ficou encarregada de realizar a impressão e entrega aos alunos.  

Para a publicação dos textos e gravação das aulas feita pelo Google Meet, utilizamos a plataforma Google Classroom,  meio de comunicação entre os professores e os alunos durante a pandemia. Na mesma plataforma são postadas as tarefas realizadas pelos alunos, que servem de subsídio para o acompanhamento da aprendizagem pelos estagiários. 

Análise e Discussão dos Dados

No decorrer das aulas desenvolvemos as mencionadas tarefas, por meio de apresentação em slides de forma interativa com os alunos.  Na primeira tarefa partimos da resolução de expressões algébricas. Dado às expressões e+2 e e-2, com valores pré determinados para e, o objetivo era representar essas expressões de forma geométrica, localizando o valor da expressão na reta numérica. Os presentes na aula, compreenderam como localizar os valores na reta numérica, sendo a única dúvida no momento como localizar os números decimais. 

Em um segundo momento partindo da relação todo partes, iniciando a introduzir o conceito de equação do primeiro grau para os alunos presentes no Google Meet. Eles ficaram receosos para responder o que era proposto, mas no decorrer de cada tarefa passaram a questionar e sugerir modos de analisar as expressões que relacionam todo e partes. Dada a expressão m+1=8, uma aluna disse que “se pegarmos o todo 8 menos a parte 1 vamos ter a parte m, como vimos na outra tarefa”. 

A cada tarefa discutida, os alunos se apropriaram das significações iniciais do conceito de equação do primeiro grau, ou seja,  a relação entre o todo e as partes.  Dos alunos que participaram e mandaram suas devolutivas, notou-se a apropriação do conceito, como identificar o todo e as partes de uma expressão, identificar o que é uma equação e suas características. No entanto, os alunos que não participam das aulas, os que não devolvem as atividades e os que utilizam as apostilas, não temos acesso a aprendizagem desses alunos.

Considerações Finais

       Com base nos estudos dos pressupostos da Teoria Histórico-Cultural, concluímos que a organização do ensino de equação do primeiro grau, nesta perspectiva é uma possibilidade relevante no processo do desenvolvimento da atividade de estudo dos alunos das escolas de Educação Básica. 

Deste modo, com base nessa pesquisa, os textos estudados indicam que ao colocar a Teoria Histórico-Cultural em prática nas escolas conduzirá o aluno a uma aprendizagem qualitativa, para o desenvolvimento intelectual, social. Desse modo, consideramos que o indivíduo que desenvolve o pensamento teórico-científico, está mais preparado para viver em sociedade.

Sendo assim, o ensino de equação do primeiro grau tem o objetivo de desenvolver o pensamento teórico dos estudantes. Após a aplicação das tarefas propostas, a interação nas aulas pelo Google meet e a análise das atividades propostas que os alunos desenvolveram, partindo da relação todo partes, ou seja chegando a gênese do objeto de estudo. Desenvolvendo assim o pensamento teórico dos alunos presentes e que mantiveram uma interação com os estagiários. e aos que não tivemos acesso ao desenvolvimento e resoluções das tarefas propostas nada podemos afirmar sobre seu processo de construção do pensamento teórico-científico.

 


Referências

ALVEZ, José M. As formulações de Vygotski sobre a zona de desenvolvimento proximal. Revista de Educação em Ciências e Matemática, Amazônia, v. 1 – n. 1 – Jul/dez. 2004, v. 1 – n. 2 – Jan/jun.2005. Acesso em: 8 maio 20020.

BÚRIGO, Lucas S. M. Necessidades emergentes na organização do ensino Davydoviano para o número negativo. 2015. 153 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós Graduação, Unesc, Criciúma, 2015.

COLABORADORES, Davydov e Seus; ROSA, Josélia E. da; DAMAZIO, Ademir; CRESTANI, Sandra. Os conceitos de divisão e multiplicação nas proposições elaboradas por Davydov e seus colaboradores. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 167-187, 2014.

DAMAZIO, Ademir e ROSA, Josélia E. D. Educação Matemática: possibilidades de uma tendência histórico-cultural. Passo Fundo, p. 33-53, 2013. Disponível em: www.upf.br/seer/index.php/rep; acesso em: 9 maio 2020.

DAMAZIO, Ademir; CARDOSO, Eloir F. M.; SANTOS, Felipe E. Organização do ensino da matemática no sistema de ensino Elkonin-Davydov. Revista Electrónica de Investigación y Docencia (REID), 11, Enero, 2014, 179-198. Acesso em: 9 maio 2020.

DAVID, V.V. Teoria da Atividade de Estudo: contribuições de D. B. Elkonin, V. V. Davidov e V. V. Repkin. Curitiba, 2019. Acesso em 4 junho 2020.

DAVYDOV, Vasily. V. Análise dos princípios didáticos da escola tradicional e dos possíveis princípios do ensino em um futuro próximo. A psicologia evolutiva e pedagógica na URSS. Tradução de Josélia Euzébio da Rosa e Ademir Damázio, Moscú: Editorial Progresso, 1987, p.143-155. Versão português do original russo.

DAVYDOV, Vasily. V. La Ensenanza Escolar Y El Desarrollo Psíquico: Invetigación Psicológica Teórica Y Experimental. Moscu: Editorial Progreso, 1988. Acesso em: 31 Jul.2020.

DORIGON, Josiane C. G. Proposições de Davydov para introdução ao conceito de equação. 2013. 92 f. Monografia (Especialização) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, Unesc, Criciúma, 2013.

GÓES, M. C. R. A significação nos espaços educacionais: interação social e subjetivação. Campinas: Papirus, p. 11-28, 1997.

LIBÂNEO, José Carlos e FREITAS, Raquel A. M. D. M. Vasily Vasilyevich Davydov: a escola e a formação do pensamento teórico-científico. Campus Santa Mônica: Editora da Universidade Federal de Uberlândia, 2013.

PERES, Thalita de C. e FREITAS, Raquel A. M. da M. Ensino Desenvolvimental: uma alternativa para a educação matemática. Revista do Programa de Pós-Graduação em educação, Universidade do Sul de Santa Catarina, pg. 10 – 28, Jan/Jun, 2014. Acesso em: 8 maio 2020.

ROSA, Josélia E. Proposições de Davydov para o ensino de matemática no primeiro ano escolar: inter-relações dos sistemas de significações numéricas. 2012. Tese (Doutorado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná. 2012. Acesso em: 9 maio 2012.

ROSA, Josélia E.; Damazio, Ademir; DORIGON, Josiane C. G. Proposições de Davýdov e colaboradores para a introdução ao ensino do conceito de equação. Revista Iberoamericana de Educación Matemática, n. 45, p. 76-95, 2016. Acesso em 11 junho, 2020.

SANTA CATARINA. Currículo base da educação infantil e do ensino fundamental do território catarinense. Florianópolis-SC. Secretaria do Estado da Educação, 2019. 492p. Disponível em: http://uaw.com.br/pagflip/pdf.php?pag=portifolio&cod=35. Pdf. Acesso em: 31 jul.2020.

SFORNI, Marta S. de F. Aprendizagem conceitual e organização do ensino: contribuições da teoria da atividade. 1° edição. Araraquara: JM Editora, 2004, p.200. Acesso em: 26 maio 2020.

VASCONCELLOS, V. M. R e VALSINER, J. Perspectiva Construtivista na Psicologia e na Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

VIEIRA, Vanize A. M. de A. e SFORNI, Marta S. de F. Avaliação da aprendizagem conceitual. Educar em Revista, Curitiba, Brasil,n. especial 2,p.45-58,2010.Editora UFPR. Acesso em: 26 maio 2020.

Downloads

Publicado

2021-09-09