IGREJAS ENXAIMEL EM ITAPIRANGA (SC): CONCEPÇÃO E EXECUÇÃO DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO NO PARQUE VILA GERMÂNICA

Autores

Resumo

O texto busca refletir sobre a dimensão simbólica das igrejas em madeira e sua relevância patrimonial no contexto da colonização Porto Novo, atuais municípios de Itapiranga, São João do Oeste e Tunápolis. A proposta busca discorrer sobre a relevância da arquitetura enxaimel como símbolo de identidade histórica e cultural, apresentando assim, uma proposta de edificação de uma réplica de uma igreja enxaimel, desde sua concepção até a sua execução, a partir dos princípios dessa técnica construtiva, defendendo a hipótese de que é possível reinterpretar o enxaimel na atualidade sem perder a sua essência.

Biografia do Autor

Douglas Orestes Franzen, Uceff Itapiranga

Doutor em História. Uceff Itapiranga.

Simone Eidt, Simone Eidt Escritório de Arquitetura

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Unoesc.

Referências

SCHNEIDER, Maikel Gustavo. Talvez eu nunca mais veja minha terra natal: a trajetória de imigrantes alemães na colonização de Porto Novo/SC (1932-1942). São Carlos: Pedro&João Editores, 2019.

SPOHR, P. Inácio. História das casas: um resgate histórico dos jesuítas no sul do Brasil – Paróquia São Pedro Canísio Itapiranga/SC. Porto Alegre: Padre Reus, 2016.

WEIMER, Günter. A arquitetura popular da imigração alemã. 2ª edição. Porto Alegre: UFRGS, 2005.

WITTMANN, Angelina. Fachwerk – a técnica construtiva enxaimel. Blumenau: AmoLer Editora, 2019.

Downloads

Publicado

2021-04-22