Os povos indígenas, sua cultura resiliente e os desafios contemporâneos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18616/ce.v13i1.8584

Resumo

O presente artigo tem por objetivo refletir sobre os povos indígenas e sua importância para o mundo, enfatizando os desafios enfrentados desde a colonização e a ressalva de que é preciso preservar a sua cultura, a sua ancestralidade que é transmitida através da oralidade, por meio de histórias contadas por seus xamãs. Para os povos indígenas, o homem não conhece a terra e a importância dela para a sua própria sobrevivência. Aprender mais sobre a cultura indígena e a sua relação intrínseca com a natureza; ter a humildade de reconhecer esses povos como verdadeiros donos da terra; aprender sobre sua oralidade, seus mitos, contos e danças que reverenciam a natureza e os espíritos que nela habitam; reconhecer que a oralidade indígena é uma maneira ancestral de transmitir conhecimento ao seu povo e que o Estado e a sociedade têm muito a aprender com esses povos.

Biografia do Autor

Giulia Guadagnini Barbosa, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Giulia Guadagnini nasceu em Rio Grande em 1997, é escritora em trajetória e leitora curiosa. Organizou por dois anos (2021-2022) o Clube de Leitura Conjunta. Integra os coletivos Mulheres de Escrita e Mulherio das Letras Rio Grande. Entre suas publicações estão poemas e contos na Zine Marítimas e na La Loba Magazine. É coautora de três antologias lançadas pela Editora Libertinagem: Sete mulheres minicontam (2022), Travessia (2022) e Sentimento do mundo (2023). Em 2024, seu primeiro livro solo, "Da maré dos meus olhos abertos & outros contos", foi selecionado na 5ª Lei do Livro de Rio Grande na categoria Literatura. É licenciada em Letras - Português/Inglês, mestre e doutoranda em Letras - História da Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG. É bolsista CAPES e integra o grupo de pesquisa ÍCARO [Interdisciplinaridade, Crítica ao Autoritarismo, Regionalidade e Oralidade] como pesquisadora.

Downloads

Publicado

2024-02-23