Proposta de solução para estrutura de contenção contra queda de rochas para um talude na Região Sul de Santa Catarina

Autores

  • Heliton Marcon Rocha Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Luiz Renato Steiner Universidade do Extremo Sul Catarinense

DOI:

https://doi.org/10.18616/civiltec.v7i1.6780

Resumo

A queda de rochas e o rompimento de taludes são regidos por fatores geológicos, geomorfológicos, climáticos e pela ocupação irregular e ilegal de encostas. Há três classificações quanto ao movimento de terra causado pela instabilidade de maciços: desprendimento de terra ou rocha, escorregamento (landslide) e rastejo (creep). Além disso, as principais formas de ruptura de taludes rochosos são ruptura circular, planar, em cunha e tombamento de blocos (toppling). Há maneiras de evitar as rupturas de taludes por meio de estruturas de contenção, classificadas por proteções ativas e passivas, que devem atender a fatores de seguranças mínimos regidos pela ABNT NBR 11682/2009. O objetivo deste trabalho foi dimensionar uma estrutura de proteção contra quedas de rochas para o maciço estudado por Zorzi e Müller (2019). As autoras classificaram um maciço rochoso localizado no bairro Morro dos Conventos na Cidade de Araranguá, através do sistema RMR. O maciço, caracterizado em famílias, obteve classificação III e IV, apresentando grandes indícios de alteração e fraturamento. Através deste estudo, e das características do local, foi dimensionado uma estrutura de proteção contra queda de rochas baseado num sistema de malhas SteelGrid MO 200, com cabos de suporte de alma de aço de diâmetro de 12 mm ancorados à crista do talude por meio de barras de ancoragem de aço CA-50 de φ20 mm. A validação do dimensionamento foi feita por meio do software MacRO Studio v3.0. Concluiu-se que a estrutura dimensionada foi satisfatória, visto que apresentou fatores de segurança superiores ao mínimo estipulado pela ABNT NBR 11682/2009.

Downloads

Publicado

2022-06-21

Edição

Seção

Artigos