TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS EXPRESSAS EM REGISTROS DE CADERNOS DE ALUNOS DO 2º ANO ESCOLAR REFERENTES AOS CONCEITOS DA GEOGRAFIA (COMUNIDADE, BAIRRO) DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO SUL DE SANTA CATARINA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18616/ce.v11i1.6055

Resumo

As tendências pedagógicas traduzem, na organização do ensino, as finalidades educativas que são sistematizadas no contexto social de cada contexto histórico. Tais tendências são comumente explicitadas em documentos com vistas à orientação do trabalho pedagógico das instituições escolares e que, por decorrência, abarcam as diferentes atividades propostas. Este estudo teve como objetivo analisar as tendências pedagógicas expressas nas atividades propostas em cadernos do 2º ano, nos anos de 2016 e 2019. A abordagem da pesquisa é qualitativa em sua vertente o documental. O processo de análise teve como base as tendências pedagógicas e decorreu por meio de categorias elencadas para a análise dos Projetos Político Pedagógicos – PPP (2016 e 2019) em articulação com as categorias do pensamento geográfico elencados na Proposta Curricular de Santa Catarina, expressos nos cadernos de atividades dos estudantes no mesmo período. O estudo evidencia algumas incoerências teóricas elencadas nos documentos da instituição acerca das tendências pedagógicas e, também, sua articulação com as atividades propostas. Tal verificação sugere que ainda é necessário ampliar os estudos acerca da organização escolar e das finalidades educativas propostas pela instituição.  

Biografia do Autor

Miryan Cruz Debiasi, Centro Universitário Barriga Verde - Unibave

Doutoranda em Educação (UNESC). Mestrado em Educação - UNESC - Linha de Pesquisa: Educação e Produção de Conhecimento nos Processos Pedagógicos. Licenciada em Pedagogia pelo Centro Universitário Barriga Verde (UNIBAVE).Possui especialização em Ciências dos Saberes da Educação para Mercado de Trabalho e Exercício do Magistério Superior (UNIBAVE); especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional (UNIBAVE) e especialização em Gestão Universitária (UNIVALI). Professora Universitária, Coordenadora do Curso de Pedagogia do Centro Universitário Barriga Verde - UNIBAVE. Presidente do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso de Pedagogia (UNIBAVE). Presidente do Colegiado do Curso de Pedagogia (UNIBAVE). Membro do grupo de pesquisa Educação Matemática: uma abordagem histórico-cultural - GPEMAHC (UNESC), do Núcleo de Estudos sobre Formação Humana - FORMA (UNESC) e no Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação - NEPE (UNIBAVE). Avaliadora de Reconhecimento e Renovação de Reconhecimento de Cursos de Graduação do MEC (compõe o Banco Nacional de Avaliadores do Sistema Nacional De Avaliação da Educação Superior - BASIS). Membro do Fórum Estadual Permanente de Apoio à Formação Docente / SC. Tem experiência na área de educação, com ênfase em teorias pedagógicas, a pedagogia como campo de conhecimento, políticas públicas para o curso de pedagogia e formação de professores; teoria histórico-cultural, formação e emancipação humana. 

Morgana Padilha Debiasi, Unibave

Egressa do curso de Pedagogia do Unibave, professora de Educação Básiica

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: DF, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 nov. 2019.

BOLZANI, M. F. Paradigma Inovadores: Uma visão holística da educação para o século XXI, 2015. In: Educere: XII Congresso Nacional de Educação. Anais eletrônicos ... Curitiba, 2015. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/16930_9046.pdf. Acesso: 13 de out. 2019.

DEBIASI, M.; DAMAZIO, A. A pedagogia e o modo de organização do ensino na perspectiva histórico-cultural. In: BITTENCOURT, Ricardo Luiz (Org.). Políticas e práticas na formação de professores. São Paulo: Pimenta Cultural, 2018, p. 133 – 154.

FIGUEIREDO, N.M.A. Método e metodologia na pesquisa científica. 2a ed. São Caetano do Sul, São Paulo, Yendis Editora, 2007.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico social dos conteúdos. 28 ed. Ipiranga, SP: Loyola, 2014.

LUCKESI, C. C. Filosofia da educação. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011. 222 p.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2a ed., reimpressão. Rio de Janeiro: E.P.U., 2017.

MIZUKAMI, M. da G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: E.P.U., 2014.

OLIVEIRA, M. M. de. Como fazer pesquisa qualitativa. 7a ed. revista e atualizada. Petrópolis, RJ: 2016.

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA INVESTIGA (2016).

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA INVESTIGA (2019).

SANTA CATARINA. Governo do Estado. Secretaria de Estado da Educação. Proposta curricular de Santa Catarina: formação docente para Educação Infantil e Séries Iniciais. Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado da Educação, 1998.

SANTA CATARINA. Governo do Estado. Secretaria de Estado da Educação. Proposta curricular de Santa Catarina: formação integral na educação básica. Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado da Educação, 2014.

SANTA CATARINA. Governo do Estado. Secretaria de Estado da Educação. Currículo Base da Educação Infantil e do Ensino Fundamental do Território Catarinense. Santa Catarina, Secretaria de Estado da Educação, 2019.

SAVIANI, D. A pedagogia no Brasil: histórias e teorias.2.ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

SILVA, E. C.; LENARDÃO, E. Teoria do Capital Humano e Relação Educação e Capitalismo. In: XI SEMINÁRIO DE PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS – SEPECH, 2016. Londrina, Anais eletrônicos ... Londrina: UEL, 2016. Disponível em: <http://www.uel.br/eventos/sepech/sumarios/temas/teoria_do_capital_humano_e_a_relacao_educacao_e_capitalismo.pdf> Acesso: 13 de ago. de 2019.

Downloads

Publicado

2022-09-28