O PROFESSOR E A FORMAÇÃO CIDADÃ: O USO DO ENSINO JURÍDICO-TRABALHISTA NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO COMO FERRAMENTA DE EMANCIPAÇÃO

Autores

  • Wicara Lima e Silva IFSertãoPE
  • Cícero Barboza Nunes IFSertãoPE

DOI:

https://doi.org/10.18616/ce.v13i1.8525

Resumo

A educação brasileira estabelece legislação e diretrizes curriculares que priorizam uma proposta de formação humana integral, especialmente no ensino médio. Todavia, para que esta realidade seja concretizada, os professores desta etapa da educação básica tem papel fundamental, uma vez que podem utilizar sua liberdade de atuação para inserir no dia-a-dia dos alunos conteúdos que sejam fundamentais para uma formação cidadã, crítica e reflexiva. Neste sentido, parte-se da premissa que o ensino médio quando integrado à educação profissional e tecnológica deve se preocupar especialmente com as futuras relações de trabalho que surgirão a partir dos conhecimentos nele adquiridos, consequentemente, o estudo em direito do trabalho mostra-se fundamental.  Para tanto, este estudo foi realizado a partir de revisões bibliográficas, as quais foram fundamentadas pela legislação em vigor, bem como por meio das reflexões de pesquisadores como Marise Ramos, Dante Moura, Arnaldo Antunes, Kuenzer e Saviani. Por fim, conclui-se que o professor do Ensino Médio Integrado deve desenvolver em seus alunos olhar crítico sobre a relação que envolve capital e trabalho, bem como refletir sobre o cenário de precarização e flexibilização que envolvem os trabalhadores. Ressalte-se que esta atuação docente sobre o conhecimento jurídico-trabalhista toma por base a liberdade curricular garantida pela própria BNCC, desde que de forma tranversal e integradora. Dessa forma, acredita-se que o ensino jurídico-trabalhista pode ser uma ferramenta capaz de auxiliar os professores a atingir os objetivos anteriormente mencionados, especialmente no contexto do Ensino Médio Integrado, última etapa de preparação para adentrar no mundo do trabalho.

Downloads

Publicado

2024-02-23